POEMA NA DANÇA DO TEMPO, Wagner Martins

NA DANÇA DO TEMPO



Na dança do tempo:
Todas palavras levianas
De acordo com o ritmo dessa dança,
As consequências
chegarão nas suas sequências.
O brilho da beleza exterior
É ofuscado,
Tirando a hipnotizante máscara,
Revelando nesse ato
Inesperadas surpresas,
Trazendo consigo
A absoluta, e eterna beleza do interior!...

Na dança do tempo:
Os momentos de prazeres
São bastante curtos, precoces!...
Porém muitos gozam de certos prazeres,
E deles viram dependentes...
Resumindo a sua vida toda
Nesses momentos alucinantes,
Rumo a overdose
Mental,
Afetiva,
E espiritual!...

Na dança do tempo:
Não tem tempo cronometrando
A sua vida
Na corrida para alcançar
Aquilo que te fará bem,
Aquilo que te trará alegria.
Não seja marionete da influência,
Mantenha única sua velocidade,
Sem voracidade,
Mas vá indo, sentindo a brisa!
Basta de fazer um longo drama
brotado no pequeno incômodo!
Repare o degradê do céu,
Nunca pare,
Vá indo a sonhar!

- Wagner Martins


quinta-feira, 7 de maio de 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário