GERAÇÃO INGRATA, Wagner Martins (Poesia



GERAÇÃO INGRATA

Abram mais, e mais vagas nos asilos!
Inaugurem mais, e mais asilos!

Pois já deram à luz a geração ingrata,
Pois gestos de respeito, e gratidão para com os pais
Já são histórias passadas!

Nesses lugares só restam para os esquecidos
A tristeza, amargura, a escuridão do abandono,
para muitos o desgosto
de nos momentos mais precisos, e finais
de sua vida
aqueles que foram minados, carregados em seus braços
lhes terão como fardo, empecilho!...

E para alguns terão a boba esperança de ainda serem
Lembrados, e visitados,
Quem sabe até terem suas vidas restauradas,
Que um dia foram arrancadas
por mãos que nas palmas de ambos
têm os mesmos traços!...

Abram mais, e mais vagas nos asilos!
Inaugurem mais, e mais asilos!

Pois já deram à luz a geração ingrata,
Pois gestos de respeito, e gratidão para com os pais
Já são histórias passadas!

- Wagner Martins

13 de novembro de 2018

SÁBIA ME AMAR, Wagner Martins (Poema



SÁBIA ME AMAR

Sábia me amar,
Todo esse seu escândalo,
Esse barraco todo armado!...

Sábia me amar!
Ei, não sou objeto
Para ser tratado
Como se tivesse dona!

Sábia me amar:
Quer meu amor, carinho e atenção?
Conquiste, me ame sem cobrar,
Sem metas, sem tome lá, dá cá!

Sábia me amar...
Enfim, acho que você
É crescida ao bastante
Para saber o que quer,
Mas só querer,
E exigir que eu cumpra o seu querer,
Não é poder,
Sábia me amar!

- Wagner Martins

13 de novembro de 2018

SE ASFIXIAR, Wagner Martins (Poesia



SE ASFIXIAR

É tanto barulho
Que ninguém consegue se escutar,
E escutar...
É tanta informação
Que ninguém consegue se formar,
E formar!...

Nessa confusão
Tantos cérebros não conseguem respirar,
A se asfixiar,
na derradeira agonia
Reagimos com instintos primitivos
Para nos salvar,

Assim erros, e mais erros
Cometeremos,
Assim dos erros, e mais erros
Sofrerão os nossos corpos!...

- Wagner Martins

10 de novembro de 2018

A MAIOR IRONIA DO ANO, Wagner Martins (Poesia


A MAIOR IRONIA DO ANO

A maior ironia do ano:
Você me dizendo
Que estou lhe cobrando,
Mas na minha vida
ultimamente somente
como estátua
está atuando!

Logo você, carrapato do meu peito,
Logo você, ladra da minha privacidade,
Da minha liberdade,
Logo você, a que não sabe conquistar,
E exige como se fosse proprietária!!!

De verdade, eu não sei
Se essa sua acusação
é bipolaridade, cinismo, blefe,
Ou alguma doença mental mais séria...
Só sei que isso é a maior ironia do ano!

- Wagner Martins

terça-feira, 6 de novembro de 2018

NOSSA EMBARCAÇÃO, Wagner Martins Martins (Poesia



NOSSA EMBARCAÇÃO

A pequenez
da nossa grandiosa arrogância
Em nos agarrarmos em teorias, ideias,
Personalidades, filosofias tão inúteis, tão vãs,
só vai nos levando
para mais e mais longe de Deus!...

Decidirmos crer
Que já sabemos viver,
E assim largamos
Os ensinamentos de Jesus Cristo:
Estamos perdidos
nesse labirinto de insatisfações,
nessa corrida sem pista, sem direção...
que escuridão!

Imos entre os espinheiros
de medo, de dureza, de decepções sem fim...

imos entre os espinheiros
de injustiças, de violência,
acorrentados em explorações sem limites!

assim rogamos em vão soluções a aqueles
de corações duros, e mãos de ferro!....

Mas Cristo já se deu como escape das ilusões,
se fez como O Único Caminho de luz
para seguirmos por entre as trevas
sem ficarmos caídos, sem muito nos ferir!

- Wagner Martins

30 de julho de 2018

MEUS ÚLTIMOS PEDIDOS, Wagner Martins (Poesa



MEUS ÚLTIMOS PEDIDOS

Não, não,
não, pelo amor,
não me socorra!

Me dê um café forte
Para não pegar no sono eterno,
ou qualquer coisa caseira;

só não me socorra!
Dói menos
morrer em casa, no conforto da cama,
do que no hospital
PASSE PARA O INFERNO,
esquecido que sou humano,
Em estado desumano,
Sem macas,
descartado em qualquer
corredor,
feito vira-lata sem dono, nas ruas
gemendo, gemendo,
e gemendo,
sem receber um gesto humano!...

No velório,
aos meus inimigos
faço os últimos pedidos:

sapateiem em cima do meu caixão,
façam um brinde
a esse grande covarde,
por não aproveitar
o mínimo, do mínimo, do mínimo
da vida!

- Wagner Martins

21 de junho de 2018

SEM COLEIRA, Wagner Martins (Poesia



SEM COLEIRA

CHEGA, CHEGA!
Me livrei da sua coleira,
Chutei o pau da barraca,
Alterei a voz,
Protestei contra sua tirania
Ditando minhas regras,
Dando uma de durão...
Jurei que você tinha que me ouvir,
E assim, me zanguei,
Virei um ferido, e feroz cão!...

E você... você só assistia,
Desse meu espetáculo
Nada dizia, nada fazia,
Mas por dentro tanto ria,
Com aquela sua expressão de dissimulada,
De convencida!

Com plena razão
Fui na mão da sua contramão,
Só que quem ama demais
Não tem razão,
Tem dependência,
Tem submissão:

E nesse jeito,
Voltei a mendigar o seu amor,
Como um vira-lata
arrependido, com rabo entre as pernas
A comer em suas mãos!

- Wagner Martins

28 de outubro de 2018

PARADA DA EVOLUÇÃO HUMANA, Wagner Martins (poema



PARADA DA EVOLUÇÃO HUMANA

Os adultos...
Os calados
são como campos minados,
se pisarem em seus calos...

os adultos
São solitários,
Aborrecidos,
Brindados,
E tão fácil
são domados!...

Os adultos
tem seus tronos,
Odeia quem os contrariem
Mesmo com razão,
Odeia quem queira
Abrir seus olhos
Para além do seu umbigo,
Vim ampliar a sua visão!

Os adultos
São uns monstros:
Alguns simpáticos,
Outros horrorosos,
Contudo muitos domesticados
se submetem
Em serem animais de estimação
Numa coleira presos a uma condição!...

- Wagner Martins

29 de junho de 2018