O NASCER DUMA NOITE SEM ESTRELAS, Wagner Martins (Poema)


O NASCER DUMA NOITE SEM ESTRELAS

Triste tarde,
Triste tarde
Se vai:
Nublada,
Cinzenta...
Mergulhando
Tudo no seu clima!...

Triste tarde,
Triste tarde...
Quando digo
Triste,
Não refiro
A que o coração
Fere;
Mas a tristeza, a melancolia
Confortante da solidão,
Do envolvente frio
Que nesse imenso lugar
me abriga!...

Triste tarde,
Triste tarde...
E eu aqui
Em silêncio,
Maravilhado:
Contemplando a abertura
Do espetáculo
Que o universo faz
Com a tarde para noite!

- Wagner Martins

18 de janeiro de 2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário